Se você é um fiel seguidor da ACE, já está sabendo do livro novo do CEO da ACE, “A Estratégia da Inovação Radical”, onde Pedro Waengertner dá uma grande aula sobre como grandes corporações podem ser tão inovadoras como startups, por exemplo.

Neste vídeo, o Pedro explica quais são os 6 princípios da inovação radical, presentes em seu livro – princípios que ele identifica como os principais pontos para uma empresa se tornar inovadora:

>> Compre o livro: “A Estratégia da Inovação Radical”

Quais são os 6 princípios da inovação radical?

  1. Inovação = Design Organizacional

Para conquistar diferentes resultados dentro da sua empresa, é necessário que o time trabalhe de maneira diferente. Isto significa trabalhar em forma de uma organização ambidestra, por exemplo. O time precisa estar receptivo a trabalhar de forma diferente da usual, entendendo que o processo de inovação sempre ocorre de dentro pra fora.

 

  1. Gestão Ágil

Se a equipe estiver aberta para trabalhar de forma inovadora, o primeiro passo já está dado. A partir daí, é necessário ter a mentalidade das empresas de ponta do Vale do Silício. Ou seja, entender a importância de metodologias ágeis e se perguntar: o quê há de tão intrínseco nas startups que faz com que elas sejam tão únicas?

 

  1. Mate seu próprio negócio 

O seu negócio se sustenta hoje. Mas e amanhã? A Netflix é um ótimo exemplo para este caso: a empresa entendeu que em pouco tempo, seu negócio ia morrer. A empresa matou seu próprio negócio e reconstruiu um novo, porque teve o entendimento de que era necessário pensar no futuro.

>> Leia Mais: O status da cultura de inovação no Brasil

>> Leia Também: Como aplicar cultura de inovação à grandes empresas?

 

  1. Pense como um investidor

Falar de capital normalmente está ligada a ideia de tomar muito cuidado para não passar por riscos. Ao invés de se perguntar: “e se der errado?”, se pergunte: “e se der muito certo?”. É necessário arriscar na ideia que tem possibilidade de dar certo.

 

  1. Trabalhe com parceiros

Existe uma série de corporações que estão trabalhando junto com startups para desenvolver produtos e projetos inovadores (aqui na ACE, nós temos alguns exemplos), mas a possibilidade de parcerias que empresas podem realizar entre si, é infinita. O conceito pode parecer assustador, a princípio, mas os resultados podem ser surpreendentes. Retomando o conceito anterior: e se der muito certo?

 

  1. O cliente no centro da equação

Esse é o conceito mais importante. É generalizada a mentalidade de que o Spotify, por exemplo, está sempre preocupado com o quê o Deezer ou algum concorrente pode fazer. Mas não é assim que as corporações realmente inovadoras pensam. Elas estão mais preocupadas com o modo que o cliente se sente em relação àquele produto ou a concorrentes indiretos que podem afetar o modo como o cliente consome aquele produto.

>> Veja Também: Como convencer lideranças a abraçar projetos de inovação

>> Saiba Mais: É possível calcular o ROI de projetos de inovação?

 

Quer saber mais sobre como ter uma empresa inovadora?

O Pedro Waengertner vai realizar um Webinar em 11/9 (terça-feira) às 14hs, dando mais detalhes sobre seu livro “A Estratégia da Inovação Radical”, e tirando suas dúvidas sobre o quão próxima está a sua empresa da inovação. Não deixe de participar:

inovação-radical-princípios-cta


TAGS: , , ,