Deck de Investimento: Como fazer?

Por Guilherme Lima - 22 Apr 2019, 15:38
Deck de Investimento: Como fazer?

A elaboração do deck de investimento é um momento de dar um passo atrás e olhar o seu negócio de forma holística e estratégica. Nesse momento, você tem a chance de repensar o modelo, a comunicação da proposta de valor, reforçar e relembrar os seus propósitos.

O deck é o material de venda que exibe a visão dos Founders em relação ao negócio.

No processo de fundraising, a elaboração do deck vem depois de entender as perguntas que definem o motivo de levantar a rodada, como para quê, quando, como, quanto, onde e de quem buscar capital. E, vale lembrar, que ele vem antes de começar a falar com investidores. Portanto, não saia falando com investidores sem ter exercitado o seu pitch deck.

Construindo o seu deck

Para impressionar o investidor, eu acredito que um bom pitch deck deve ter as três seguintes características: criativo, único e insightful. Investidores podem receber até dezenas de decks todos os dias, portanto o material deve ser capaz de chamar a atenção.

Ao analisar diversos decks de captação bem sucedidos, os melhores são os que trazem insights únicos. Eles sempre trazem 3 ou 4 slides que realmente abrem a cabeça e demostram uma visão única dos founders.

Eu, particularmente, adoro ver slides que me eduquem ou me façam aprender alguma coisa sobre o mercado. Prefiro trabalhar com founders que sabem muito mais do que eu, e que mostrem visões únicas de mercados, me fazendo aprender mais sobre esse e outros pontos como cultura, gestão ou modelos de negócios.

>> Baixe agora: Um modelo de pitch deck para te ajudar a apresentar sua ideia

Como apresentar o seu plano de negócio

Ao construir o deck e apresentar aos investidores, eu sugiro que empreendedores liderem o storytelling do Pitch através de três pontos. Nessa ordem de importância:

1 – Time: Mostre porque o time é único. Se já tiveram exits, construíram outros grandes negócios, têm experiência e conquistas surpreendentes e notáveis. Mesmo que não tenha, capriche nesse slide. Muitos desses investidores vão direto para o slide de equipe.

2 – Tração: Todo investidor gosta de ver os gráficos subindo agressivamente. Se você tem isso, traga dados que mostrem o seu product-market-fit, como a evolução das métricas, crescimento, e apresentando os sinais de aderência e engajamento dos usuários. Segundo um estudo da Sequoia sobre pitch decks, o slide com Financial é o segundo slide mais importante.

3 – Uma boa estória: Se não tem um time relevante ou uma tração surpreendente, conte uma boa estória por completo, com um bom fluxo, ótimos insights da dor e do problema, bons dados do mercado, trazendo ótima oportunidade para o investidor.

Dica: Se você não tem nenhum desses itens, volte ao trabalho e construa ao menos um desses antes de sair para o mercado.

Independente do ponto focal escolhido, tenha sempre um bom fluxo e storytelling. Cada slide deve ter um motivo racional e especial para estar lá, além de trazer a mensagem de forma clara.

Um pitch deck tem, em média, 15 slides. Mais que isso, fica difícil para o investidor relacionar toda estória que está sendo contada. Menos que dez slides também não é possível contá-la por inteiro. Você pode ter slides extras guardados para apresentar assim que as conversas vão avançando no processo com o investidor.

Na imagem abaixo, alguns dos principais investidores sugerem os seguintes slides:

Por: Guilherme Lima

Posts relacionados

Assine a Growthaholics

E receba as melhores dicas para a sua empresa crescer.