O BoostLab, programa de potencialização de empresas conduzido em parceria entre a área de inovação corporativa da ACE (a ACE Cortex) e banco BTG Pactual, recebeu destaque do jornal Valor Econômico. Na reportagem, o jornal conta como o banco vem se posicionando para se aproximar de startups que tragam inovação para os mais diversos mercados – e, no futuro, estabelecer uma estrutura de venture capital.

>> Veja também: Como a Leo Madeiras tirou um projeto do papel em poucos meses
>> Leia mais: O que o Grupo Segurador tem feito para vencer os desafios internos de inovação

 O projeto foi desenvolvido em parceria entre o banco e a ACE, como forma de unir a experiência dos executivos do BTG Pactual e das empresas investidas, com toda a metodologia e experiência em metorias da ACE. 

As startups selecionadas se enquadram em uma tese criada em conjunto entre o banco e o nosso braço de inovação corporativa. Diferentemente do que acontece na maioria dos programas de aproximação entre grandes empresas e startups, o BoostLab buscou por startups mais avançadas, as chamadas scale-ups.

As participantes são Neurotech, Agronow, Clicksign, F(x), Liber Capital e ZigPay.

Por que o BTG Pactual escolheu a ACE?

Ao buscar maneiras de se aproximar das melhores startups do mercado brasileiro, o BTG Pactual encarou como natural a escolha pela ACE Cortex.

A ACE é um ótima parceira, com um corpo técnico e sócios de altíssima qualidade e com grande conhecimento de mercado. Ao estruturarmos a nossa potencializadora, decidimos nos cercar dos melhores, então a parceria boostLAB e ACE foi uma consequência natural deste processo. Estamos muito felizes com o que estamos realizando juntos até agora.

Frederico Pompeu, associado do BTG Pactual
e responsável pelo BoostLab

A reportagem sobre o BoostLab do BTG Pacutal no Valor Econômico

O texto do jornal Valor Econômico destaca alguns dos principais diferenciais da parceria entre a ACE e o BTG Pactual.

A reportagem, fala, por exemplo, sobre a crença do banco de que todos os setores da economia sofrerão disrupção vinda de startups – e daí a importância de estar bem posicionado neste momento.

>> Veja também: Como iniciar a aproximação entre uma grande empresa e startup

Outro ponto mostrado com destaque no texto é o fato de que cada empresa participante tem suas necessidades tratadas de maneira personalizada e também o envolvimento direto de sócios e diretores no banco no projeto.

Por que iniciativas como o BoostLab colaboram com a inovação de uma grande empresa?
Quando uma grande empresa resolve se aproximar de starutps, há sempre o risco de que o projeto seja inócuo.

Para evitar isso, é preciso que a grande empresa tenha muito claro o que deseja dessa parceria. Programas que estimulam a realização de projetos pilotos ou provas de conceito são bons exemplos de iniciativas eficazes. Também entram nesse grupo iniciativas que prevejam a consolidação de parcerias comerciais ou a construção de programas de corporate venture.

Além do BTG Pactual, outras empresas vêm lidando muito bem com esse desafio. São os casos, por exemplo, da Basf, no Brasil e da Johnson & Johnson, no exterior.

Quer saber mais sobre inovação corporativa?

Com o lançamento da ACE Cortex, a ACE tem conseguido colocar a  experiência de quem já acelerou mais de 180 startups a favor da inovação em gigantes como BTG Pactual, Grupo Segurador e Basf.

Para saber mais sobre as principais tendências da área de inovação corporativa no Brasil e no mundo, assine a Business Hack. Nesses e-mails, você saberá o que tem sido feito para gerar inovação de verdade dentro das principais companhias do mundo.

businessh4ck


TAGS: , , , , , , , , , , ,