Proteção de Dados: Ou como não perder sua empresa da noite para o dia

Por Gabriel Ferreira - 27 Sep 2017, 15:42
Proteção de Dados: Ou como não perder sua empresa da noite para o dia

*por Marco Fonseca

— Sua empresa faz backup dos seus sistemas e dados?
— Claro!
— Você já testou se está integro?
— Hum… não…

Geralmente quando eu questiono as pessoas sobre o backup ou proteção de dados, recebo esse tipo de resposta.

>> Veja também: Você conhece a jornada do seu consumidor?, por Eduardo Albuquerque
>> Leia mais: Falha e sucesso podem caminhar juntos?, por Gustavo Caetano
>> Growth Hacking Para Todos: ebook gratuito

Proteção de dados sempre foi um assunto difícil de tratar, desde quando comecei a trabalhar com tecnologia, no meio dos anos 90. O fato de ter um backup sendo feito, não significa que seus dados estão íntegros ou prontos para o uso caso necessite.

Para entendermos melhor isso, vamos identificar os níveis de proteção de dados e aplicação:

Alta disponibilidade ou Redundância ou High Availability (HA)

Talvez o método mais caro de manter suas aplicações/dados protegidos. É uma replicação quente (isso quer dizer, que sua aplicação/dados estão em dois lugares distintos, e síncronas).

As estruturas de aplicação e dados estão replicadas 100%. Isso significa que você deverá ter os mesmos servidores, dispositivos de rede, etc… replicados entre os dois locais.

Geralmente instituições financeiras, e aplicações essenciais tem esse tipo de estrutura. Vale lembrar que, mesmo com o HA, é necessário utilizar o próximo nível de proteção, DR, por uma questão de segurança, já que os dados quentes podem ser perdidos por qualquer motivo, e você precisa ter os dados “íntegros” em um terceiro lugar caso seja necessário.

Recuperação de Desastre ou Disaster Recovery (DR)

Nesse caso, todas as aplicações e dados estão copiados em um local isolado, de forma assíncrona. São dados frios. Geralmente eles são replicados de X em X horas, e são mantidos os dados dos últimos 7 dias, ou qualquer outro período desejado.

Imagine que no HA, ocorra um problema onde a aplicação e os dados são perdidos em definitivo, nos dois locais. O DR vai ajudar você na recuperação total.

É claro que você tem que ter uma estrutura compatível com a atual, para que o DR funcione corretamente, incluindo arquitetura, servidores, etc… Mas isso é assunto para outro texto.

Proteção de Dados ou Cópia de Segurança ou Backup

Com toda a virtualização ou serviços de nuvem que estão disponíveis hoje, nunca foi tão fácil ter acesso ao serviço de proteção de dados. Muitas empresas ainda utilizam sistemas em fita magnético, com servidores locais ou remotos. Outras em HD externo, bem como storages em cloud ou não.

A escolha do nível de proteção de dados

Enfim, a solução de backup para o seu ambiente deve ser analisada com atenção, e a escolha sempre deve ponderar os seguintes quesitos:

1- Custo operacional e de investimento

2- Método

3- Ferramentas

4- Intervalo de cópia dos dados

5- Tempo de cópia dos dados

6- Tempo de restauração dos dados

7- Ambiente de testes de restauração de dados

É bom ressaltar que, sem um ambiente de testes da restauração dos dados, o backup pode ser falho, com dados corrompidos, e você estará com um custo atrelado ao seu produto, que não gera nenhum valor. Sim, e você estará jogando tempo e dinheiro fora.

Por isso, ao criar uma aplicação ou um produto, a proteção de dados deve ser contemplada desde o início. A implementação disso posteriormente, pode trazer problemas de arquitetura ou compatibilidade. E não podemos esquecer que seus dados, aplicação ou produto, estarão desprotegidos em caso de algum problema ou perda, seja lógico ou físico.

* Marco Fonseca faz parte do time de mentores ACE e foi head de Operação da Locaweb durante 20 anos

Por: Gabriel Ferreira

Posts relacionados

Assine a Growthaholics

E receba as melhores dicas para a sua empresa crescer.