Pessoas com mochilas coloridas em motos ou bicicletas. Quem mora em grandes cidades já se acostumou com está cena, resultado do fortalecimento das startups de delivery. Reportagem do jornal O Globo publicada no último domingo mostra como este mercado tem se fortalecido e quais são as tendências para os próximos anos.

O Brasil tem despertado atenção de players globais, como a colombiana Rappi e a espanhola Glovo, que pretendem estabelecer no país parte importante de suas operações.

>> Veja também: A anatomia de um marketplace
>> Leia mais: Como monetizar uma plataforma

As duas empresas estão bastante capitalizadas, com aportes recentes e operam sob o modelo de marketplace, em que a startup conecta duas pontas de uma mesma cadeia.

O Globo ouve ACE sobre startups de logística

A reportagem d’O Globo ouviu Luís Gustavo Lima, sócio e Chief Startup Officer da ACE. Luis Gustavo, o LG, é especialista em plataformas e marketplaces e apresentou os principais desafios para que este tipo de negócio prospere, como a necessidade de equilibrar a oferta e a demanda.

Outro ponto apresentado por LG é a questão econômica, uma vez que este tipo de serviço costuma prosperar mais em ambientes de maior instabilidade.

O principal desafio para essas empresas será lidar com uma economia com desemprego menorLuis Gustavo Lima

Outros modelos de negócio para a logística

Os desafios logísticos no Brasil são tão relevantes, que startups que se proponham a resolver este desafio terão um grande mercado a explorar pela frente. E não é apenas no modelo de marketplace ou de entregas para o cliente final que devem surgir boas ideias.

No portfólio da ACE, temos algumas startups que lidam com este desafio e têm conseguido excelente desempenho.

>> Veja como a Logcomex cresceu mais de 200% ao longo da aceleração

A Melhor Envio, startup que oferece melhores condições de frete para pequenos e-commerces é um excelente exemplo disso. A empresa gaúcha fechou, recentemente, um acordo com a Amazon para integrar seu serviço à plataforma da varejista.

Outro caso é o da Logcomex, startup paranaense que traz uma camada de inteligência e automação para as operações de logística internacional. Ao longo da aceleração, a startup conseguiu fazer com que seu MRR tivesse um incremento de 209%.

Tem uma boa solução de logística

Se sua startup traz uma solução inovadora aos desafios logísticos, já tem um MVP rodando, time completo e atua em um mercado com potencial bilionário, não deixe de se inscrever para o programa de aceleração da ACE.

Estamos com inscrições abertas e em busca das melhores startups, para que elas tenham acesso ao melhor programa do país.

 >> Conheça o tripé de aceleração da ACE << 

New call-to-action


TAGS: , , , , , , , , ,