Como definir o valuation de uma startup é uma das perguntas que mais recebo dos empreendedores com quem trabalho. E umas das mais difíceis de responder pois, de fato, não existe apenas uma técnica ou uma metodologia universal. Pelas incertezas, existem quase infinitas variáveis.

Algumas startups podem ser apenas uma ideia, com pouco ou nenhuma receita, gerando prejuízos operacionais, em mercado imaturos ou a serem criados, produto nunca antes vistos que ainda estão em versão beta, diferentes perfis de times de fundadores, necessidades de capital diversas… Tudo isso traz alta incerteza de sucesso, o que dificulta muito o cálculo.

Porém, apesar dessa dificuldade, existem alguns métodos e padrões que são utilizados por investidores Venture Capital experientes e empreendedores na liderança da construção de uma rodada de investimento ou negociação de valuation.

Pensando como Investidores

Antes de pensar em valuation, é importante entender a ótica e as motivações dos investidores de Venture Capital. No âmbito de investimento privado em empresas, a definição do valuation normalmente é baseado em:

1- Potencial de geração de fluxo de caixa da empresa ao chegar na sua sustentabilidade,

ou;

2 – O valor da empresa em um Exit (na liquidação do negócio).

Ambos, geralmente, sendo descontados as taxas de risco inerente ao sucesso do negócio.

Cada investimento de Venture Capital em estágio diferente tem uma expectativa de retorno baseado no risco do negócio e no tempo até retornar o investimento.

Como visto no gráfico acima, produzido pela CBInsights, quanto mais cedo o investimento Venture Capital, maior a probabilidade de insucesso, portanto maior o risco, além de um maior tempo para trazer retorno.

Portanto, é importante ter em mente conceito básico de investimento de Risco vs. Retorno. Onde quanto maior o risco, maior deverá ser o retorno esperado pelo investidor.

Por exemplo:

  • Um Investidor Anjo que normalmente aposta em um portfólio de Startups em Pre-Seed ou Seed, com apenas com um MVP, sem times completos constituídos, buscará o retorno mínimo do seu portfólio por volta de acima de 10x a 20x, em 7 a 10 anos, que, portanto, traz uma exigência de uma taxa de retorno (TIR) de ~40% ao ano.
  • Um Fundo de Venture Capital, que normalmente investe em Startups em Seed e Series-A, por exemplo, com um produto no mercado, iniciando uma tração relevante, buscará um retorno do seu portfólio por volta de 4x-10x, em 5 a 8 anos, que, portanto, traz uma exigência de uma taxa de retorno(TIR) de ~30% ao ano.

A métrica de retorno exigido é o principal influenciador e motivador do investidor em relação aos investimentos em Startups que, portanto, ditará muito o valuation nas rodadas das Startups.

>> Leia mais: quanto vale a sua empresa?

>> Leia também: como fechar uma rodada de investimento

Negociando com o mercado

Alguns mentores que tive na área de negociação me falam que investimento em startups é mais uma questão de termos do que valuation por si só. Dependendo dos termos, como liquidation preferences, anti-diluição, podem ser muito mais relevantes na questão do sucesso do investimento ou retorno para o investidor do que o próprio valuation de entrada.

Aos empreendedores, as questões dos termos dos investimentos devem a mesma atenção, ou mais, que o próprio valuation . Na negociação, o investidor vai querer um valor mais baixo, ou melhores termos para aumentar o potencial do retorno ou as chances de uma saída com sucesso. E o empreendedor vai querer o maior valor para valorizar mais a empresa e evitar sua diluição e perda de controle.

Pontos importantes da negociação do valuation

Tanto o investidor, quanto o empreendedor, devem ter em mente:

Em startups de valuation muito alto:

  • O investidor poderá não visualizar um suficiente retorno esperado por ele em relação ao risco que enxerga neste investimento;
  • O empreendedor poderá enfrentar dificuldade para fazer rodadas seguintes, já que os investidores da rodada anterior esperarão uma valorização da Startup, ficando caro para os próximos investidores e dificultando a negociação.

Em startups de valuation muito baixo:

  • Diluição muito grande dos fundadores, que pode trazer uma eventual desmotivação por terem pouca participação ou ainda a perda antecipada do controle da empresa.

TAGS: , ,