*por Almir Neves, para o blog da ACE

Acabei de retornar de minha terceira incursão à região considerada o coração da inovação no planeta, o Vale do Silício.

Em minha primeira ida em 2013 acabei fazendo mais turismo do que uma interação mais efetiva com o ecossistema local. Já em 2015 passei duas semanas imergindo na cultura do vale e participando de todos os eventos possíveis que aconteciam na região.

> Leia mais: O passo a passo da aceleração da LogComex

Mas nenhuma dessas idas ao vale se compara a experiência que vivemos agora no início do mês de novembro de 2017. Fomos convidados para participar do CEO Summit da Draper Venture Network (DVN) que no Brasil tem a ACE Startups como parceira.

Como finalizamos recentemente nossa aceleração com a ACE, achamos que seria interessante levar a LogComex nessa incursão. Ainda por cima com a oportunidade de apresentarmos a empresa em inglês para potenciais investidores americanos.

> Veja mais: Como foi a missão das startups da ACE no Vale do Silício

O ACE in the Valley, como foi chamada nossa incursão contou com uma comitiva de mais de 20 brasileiros e onze startups  e foi divida em dois eventos. Um 100% organizado pela ACE Startups com o apoio do Google Lauchpad em São Francisco e outro do DVN que ocorreu em dois locais distintos: uma vinícola de cinema e em nada menos que o museu da história da computação em Montain View.

ACE in the Valley – Dia 01 – Escritório do Google em São Francisco

A sede do Google fica em Mountain View, onde milhares de pessoas trabalham. No entanto nosso primeiro dia foi no escritório que o gigante tech mantém em uma das áreas mais icônicas de São Francisco.

O dia foi dividido em duas partes: uma fechada para os membros da comitiva com quatro palestrantes tops e outra que foi os pitches em inglês para o comunidade de investidores locais.

> Veja também: ACE promove demo day no Vale do Silício

Não consigo compartilhar todas minhas anotações por aqui (daria um livro!), mas com certeza o destaque das palestras foi o professor de estratégia de Stanford Pedram Mokrian que compartilhou com a gente sua experiência junto a um dos maiores fundos de investimentos do planeta, o Mayfield, e seu processo de seleção que recebe, em média, 10 mil candidaturas ao ano para chegar aos 30 investimentos realizados.

Na parte dos pitches, Carlos, nosso apresentador, deu um show e conquistou a plateia presente, tanto que fomos escolhidos pela Bay Angels como um dos destaques da tarde!

ACE in the Valley – Dia 02 – Thomas Fogarty Winery & Vineyards

Se o cenário do primeiro dia já foi de tirar o fôlego, o UAU do do segundo dia foi maior ainda. No alto das montanhas do Vale do Silício se encontra essa vinícola que serve de espaço de eventos exclusivo e badalado na região.

Começava então o CEO Summit da Draper Venture Network, e o dia foi dividido em uma série de atividades para os empreendedores e outras para os investidores. Participei de uma atividade focada em vendas, outra em marketing, uma de precificação e outra de negociação com investidores.

Empreendedores de todas as partes do planeta, com destaque para a delegação brasileira e a asiática, tiveram a oportunidade de interagir com especialistas nos temas. O bate papo de precificação foi muito bom, mas o de posicionamento foi excepcional.

Nele foi comentado como a diferença que um bom posicionamento e a criação de um storytelling encantador pode maximizar uma startups.

Na minha opinião, o slide abaixo foi o ponto alto da viagem:

O dia acabou com a oportunidade de network entre os investidores e os empreendedores regado ao vinho local!

ACE in the Valley – Dia 03 – Museu da Computação

Para os Geeks e apaixonados por tecnologia nada mais divertido do que estar na casa que conta a história da evolução da tecnologia, não é mesmo?

Assim começou o último dia do evento da DVN, que, no período da manhã, foi composto por bate-papos e apresentações estilo TED e a tarde foi composto de reuniões one-on-one com potenciais parceiros comerciais e investidores.

Como nem tudo sempre é perfeito, a agenda das reuniões contou com diversos furos e acabamos com uma brecha meio grande na agenda. Mas eis que chega um WhatsApp do Pedro Waengertner, CEO da ACE:

— Galera, consegui uma visita no Google aqui em Montain View. Partiu?

E lá fomos nós, ao Google. A empresa fica a cerca de 15 minutos a pé do museu onde estávamos e alguns optaram por ir caminhando mesmo com uma leve garoa e outros foram de Uber.

Fomos recebido por um brasileiro que trabalha por lá já faz 7 anos, e após fazer as credenciais demos uma volta guiada pelo campus que é gigante.  E nosso anfitrião foi conversando e respondendo diversas perguntas que fizemos sobre o dia a dia do trabalho no Google.

Fomos deixados na lojinha oficial do campus e após algumas fotos com os bonecos Android voltamos a pé para o museu.

Essa caminhada foi divertida pois mesmo usando o Google Maps acabamos ‘’nos perdendo’’ no Campus e tivemos a oportunidade de conhecer outras partes da vida dos Googlers, entre elas a academia que estava lotada no final do expediente.

Após uma caminhada que parecia que não acabava nunca chegamos novamente ao museu para a festa de encerramento e para o torneio de Poker! Torneio esse que, inclusive, foi conquistado por um participante da delegação da ACE: o Guilherme Ebsui, CEO da Poppin, que levou pra casa um iWatch, o relógio inteligente da Apple.

No dia seguinte nossa agenda estava livre para visitar São Francisco e, em nosso caso, acabamos retornando para o Brasil via Nova York pois tivemos uma reunião muito interessante por lá! Mas isso é tema para outro texto.

Almir Neves é conselheiro da startup LogComex, empresa que está decifrando a caixa preta do Comércio Exterior brasileiro utilizando os dados e a inteligência de negócios para agilizar o fluxo da informação nas transações e entre as empresas que atuam no setor.


TAGS: , , ,